Levar a Internet “a peito”



Eu sou um gajo atento ao que se passa aqui ao lado, neste pequeno, calmo e – há que dizê-lo – aconchegado “bairro” que é a Internet. De vez em quando, saio do meu burgo imbecil, dou uma volta pelos blog’s amigos (e também por alguns que se arrogam meus inimigos – acho-lhes piada…) e, quando me sinto em melhor condição física, ainda me arrisco a dar um passeio até mais ao fundo da “rua”, a outros dois ou três sites que haja para ver; tendo sempre presente que a oferta não é muita e que, por isso, pouco mais haverá a ver. O que é uma pena!...

Num desses passeios (a não mais de uns 15-20 metros da cancela do jardim aqui do InSenso Comum), deparei-me com um photoblog que me deixou com uma sobrancelha tão acima do nível da outra que pensei mesmo que esta fosse saltar fora da minha testa!

Nos photoblog’s (tal como no meu
InSens’Imagens), a palavra não é o que mais importa, mas sim, obviamente, a imagem. No entanto, no caso deste blog, as imagens publicadas não só valem todas pelo seu dobro, como indiciam que o autor do site tem um hobby (aos olhos de muitos) invejável. O site chama-se Cleavage e penso ser aquele que mais “a peito” leva a Internet, sem grande margem para dúvidas.

Estranhamente, o autor não assina o
blog. Logo, não é possível ao visitante premiá-lo com a devida vénia, pelo facto de ter decidido sacrificar algum tempo da sua vida (senão todo) a um serviço público de tal nível. Sim, que isto de o povo poder conhecer o que o mundo tem para oferecer em termos de recursos naturais (muito embora, em alguns casos, a coisa não pareça tão natural assim… mas… que raio… os painéis solares também não são elementos da natureza mas evidenciam-se como relevantes amigos do ambiente!...) só pode ser um serviço público do mais alto gabarito!

Outras das vantagens/desvantagens (essa dicotomia existe em quase todos os post’s) do
burgo é o verdadeiro carácter democrático a que se assiste. Nenhum decote ou atributo peitoral fica de fora e todos têm o seu espaço, sem discriminação de qualquer tipo. Ou melhor… talvez haja aqui e ali alguma pontita de injustiça por não surgirem imagens de decotes – sei lá… – dos Médio e Extremo Oriente, que em muito enriqueceria o blog… mas enfim… também não se pode ter tudo.

Digo eu que muito já fez este senhor (partindo do princípio – espero que não errado – de que é um homem) em assumir o risco e estar de “peito feito” – e/ou “peito aberto” – (ainda que não, propriamente, … o peito DELE) neste meio difícil que é o da Internet!

Mais houvesse como ele e – quem sabe? – até haveria sites em que, claramente, se incentivaria a humanidade a praticar o amor em vez da guerra, mostrando pessoas que, desinibidas e desnudadas de todo o preconceito, demonstrassem quão positiva é a comunhão dos corpos com vista a uma vida mais feliz. Páginas dessas é que elevariam a moral dos homens, estimulando corpo e lama, acredito!

Temos de admitir que [essa ausência de páginas sobre o… amor físico] é uma falha neste “mundo novo” (por muitos dito perfeito) da Internet. Pessoalmente, torço para que essa utopia seja uma realidade muito em breve e que este anónimo pioneiro tenha o seu lugar na história. Se o orgulho se sente no peito… ele só faz bem em orgulhar-se do muito… orgulho que já tornou público no blog que criou! É de malta assim – visionária! – que este planeta precisa!

Temos orgulho!... e tenho dito.


5 inSensinho(s) assim...:

BorboletaDeCanela disse...

Bem, não leves isto muito a "peito", mas eu vou de férias. Fica bem por cá, e não mirres muito senão vai ser o cabo dos trabalhos para te encontrar!
Beijinho grande, levo-te comigo, na parte azul, claro!!!!!

BorboletaDeCanela disse...

P.S - A parte do não leves muito a "peito" era só para não destoar do post!
eheheheheh
;-)

um estranho disse...

Há dias escrevi uma palabra que não existe. Pelo menos o detector automático sublinhou-o a vermelho.

Ambiguismo.

No dia em que deixarmos de pensar somente em nós, veremos que é mais facil abrir os olhos ao que se passa à nossa volta.

Às vezes, nem o que se passa dentro da nossa propria casa nos alerta.

Perdem-se vidas assim, por entre os dedos, num virar de olhos.

Desculpa. Desculpem tambem os teus variáveis InSensos, não sei falar de outra maneira, não sei escrever de outra maneira.

A vida escapa-nos em todos os sentidos.

calózita disse...

um comentário deprimido (Alex)?
então? upa, upa!
quanto ao insenso, tenho a dizer que fui inspeccionar o dito foto blog e, meu caro K@, a maioria daquelas fotos são verdadeiras visões do inferno! decotes? credo!
se és fã de sites sobre amor físico e corpos desnudos, vê o www.nerve.com (infelizmente agora a maior parte das galerias de fotos são a pagantes!).

um estranho disse...

Olha K ... quando abri o teu blog e postei o comentario anterior é logico que nada tinha a ver com o teu texto de hoje, ainda vinha em desaceleração do link que me deste esta tarde. Sorry ...