O "brilhante" futuro da nossa juventude

Não sei se serão boas notícias mas desengane-se quem teme pelo futuro da nossa juventude. À primeira vista, sim, parecem ser boas notícias, claro. Mas contínuo a dizer que não sei se será bem assim.

Vem isto à laia de uma situação com que me deparei no centro comercial.

Numa loja de electrodomésticos e material audiovisual (vulgo, Worten), um pirralho tentava, à força toda, convencer o pai a comprar-lhe um DVD de desenhos animados (penso que era o das Tartarugas Ninja). Aparentemente, a coisa não estava a correr nada bem ao petiz (que devia ter não mais de uns 5 anitos). O papá não queria, por nada, dar-lhe o DVD. Mas o puto não se ficava. Daí que, vendo a situação escapar-lhe do controlo, o garoto iniciou o seguinte diálogo:

Puto: Pai! Anda lá! Compra!
Pai: Não, Afonso! Não compro!
Puto: Oh Pai! Porquê?
Pai: Porque não, Afonso! Desta vez não te vou dar o DVD que estás a pedir.
Puto: Mas porquê?!
Pai: Porque o pai não tem muito dinheiro, Afonso!
Puto: E porque é que não tens muito dinheiro?...
Pai: Porque o meu emprego é fraquinho e o ordenado é baixo…
Puto: Então porque é que não metes uma cunha?!?...

… Fiquei… …

Não tenho dúvidas que este miúdo vai longe. Que tem já um bom futuro mais ou menos assegurado. Acho que será, no mínimo, assessor de alguém importante. Não tenho dúvidas mesmo. Mas também poderá ser empresário de sucesso ou político (e, neste "ramo", poderá ser Autarca, Director-Geral, Secretário de Estado ou até Ministro). E, se se portar mesmo bem, ainda se arrisca a chegar a Chefe de Governo… ou de Estado! É isso que está reservado aos tipos que cedo (como o pirralho na Worten) percebem a melhor forma de subir na vida, pelo menos.

No entanto, se isto é boa notícia para o todo da nossa actual juventude (os “homenzinhos de amanhã”)… já não sei.

Não sei se me sinto de bem com o facto de um miúdo de para aí 5 anos saber o que é uma cunha, saber para que serve, e por aí além. Até porque – e é isso que me falta perceber – se TODOS os miúdos (de para aí 5 anos de idade) sabem o que é uma cunha e como usar esse “trunfo”… não estou a ver como se vão organizar.

Não. Não é porque é moralmente errado ou algo do género. É só por uma questão… logística. Mais nada. Tem de haver sempre uns quantos pamonhas (leia-se, tipos que não sabem o que é uma cunha, ou que não sabem como “meter” uma) que se sujeitem a ser relegados e humilhados pelos outros (os tais que sabem). E se, a dado momento, toda a gente domina o (mesmo) truque a tirar da manga, ou seja, a cunha… então essa cunha de nada servirá, excepto para um dos “cunheiros”. No fundo, como se sabe, só um - o que tiver melhor cunha - vai chegar ao lugar também ambicionado por todos os outros... que ficam a roer-se de inveja e a tentar perceber porque é que a cunha deles não "funcionou".

Em suma, penso que talvez seja melhor que nem toda a nossa juventude tenha sucesso assegurado quando chegar à maioridade. Por uma questão do futuro equilíbrio do sistema, é bom que ainda haja miúdos de 5 anos a não saber, já, o que é uma cunha e, por isso, é bom que continuemos preocupados com o quase certo insucesso desses nossos miúdos,… os pamonhas.

Se não, vai ser uma confusão do caraças, daqui a uns anos!

1 inSensinho(s) assim...:

Zorba, O Buda disse...

Sabes, uma função que seja rentável acaba por ser aproveitada, principalmente por aqueles que tenham capacidade para o desempenhar. Parece-me que seja mais neste aspecto porque o que resta é o lucro e a admiração que se gera e não tanto a especialidade que a pessoa traz na sua bagagem. As obras de pintura são maioritariamente vistas com a mesma grande apreciação, independentemente da história do seu autor...*