Dente de Aquiles - II




A minha “Dentadura SuperStar” [vide InSenso de dia 21 de Julho] vive dias difíceis. Para além da incompreensível inexistência de castings onde possa pôr a minha dentola perfeita (para anúncios de pão de forma e/ou maçãs verdinhas) a brilhar no caminho para o estrelato e, consequentemente, a render-me umas coroas extra… agora, passa uma fase de “obras” forçadas, devido a uma anomalia verificada em dois molares contíguos, do lado inferior direito das minha InSensata boca.

Chato é que esta (rara) situação (a malta até nem é de ter problemas dentais) tem contornos algo bizzaros. E tudo por causa… dos meus calcanhares.

Eu explico. Aquando do aparecimento da mais recente dor de dentes [
vide Petit Rien “Dente de Aquiles” – daí o título deste InSenso ser uma versão “II”], o que aconteceu foi que o padecimento ia, literalmente, da cabeça aos pés, visto que também os calcanhares me doíam… que era coisa que tolhia.

Na altura, estranhei mas relevei. Apesar de não me lembrar de ter andado às “calcanharadas” a nada ou ninguém, parti do princípio que uma dor (a de dentes) não estava relacionada com a outra (dor de calcanhares), questionando-me apenas se seriam duas dores… ou três (uma de dentes e uma de cada calcanhar). No entanto, eu hoje não penso assim. Porquê? Porque – depois de ter ido ao dentista – a dor dental passou e passei a envergar uma massa argilosa que o médico me colocou para manter até ao dia em que “reconstruísse” os dois dentes molares afectados, a dita massa quebrou sem qualquer razão aparente e a dor voltou. O que eu não reparei de imediato (mas agora que pensei melhor, apercebi-me disto) é que mesmo antes da massa ter partido e caído, provocando nova dor de dentes, já os calcanhares me tinham voltado a doer, precisamente umas horas antes.

Estranho, no mínimo, pensei eu. Parvo, no mínimo, pensará o InSensato Leitor (e, decerto, com muita razão). Mas é um facto.

Logo que o incidente da massa se deu (ironicamente, quando escovava os dentes), lembrei-me de umas sessões de slides que se faziam na minha escola primária, uma vez por ano. Não me lembro se eram patrocinadas pela Colgate se pela Pepsodent, mas eram por uma delas… ou ambas… sei lá.

Nessas sessões de diapositivos, a pequenada (eu também – era pequenino e franzino) sentava-se no chão enquanto conhecia a história de uma nave que voava até um planeta que, estranhamente, tinha o aspecto de um dente pefeitinho, no meio do espaço. Algumas aventuras e desventuras depois, a nave salvava o planeta do ataque dos inimigos (meteo-cáries e naves com formas incrivelmente semelhantes a doces, gelados e rebuçados) e tudo acabava em bem. E como era belo ver o brilho do planeta (como se da luz de uma estrela se tratasse) no meu daquela galáxia… coisa linda mesmo!

Ainda assim, talvez sugestionado pela apresentação e pelas personagens (as más) dos slides… acabava sempre com uma recorrente dorzinha de dentes e a pedir aos meus pais que verificassem se estava tudo bem com a minha dentadura.

Mas… estranho (ou nem por isso)… não me lembro… se em alguma dessas ocasiões tive dores nos calcanhares…

Hmmmmmm... vou pensar nisto...!


3 inSensinho(s) assim...:

so disse...

isso e tudo da merda dos chocolates que tu comes! :)

so disse...

isso e tudo da merda dos chocolates que tu comes! :)

Ana disse...

Dores de dentes é horrivel... mas dores de dentes com dores de calcanhares... épá.. não sei!!..
Experimenta por uma mola da roupa na orelha do lado oposto ao do dente que te doi... remédio antigo, não milagroso, mas que, pronto, apeteceu-me!!!