Piruças


Hoje, ao chegar a casa, ouvi uma expressão estranhamente familiar. Alguém, ali na praceta, chamou um miúdo que jogava à bola com os amigos de Piruças. E esse é um nome que o meu pai me chama, ainda hoje, de vez em quando. Não sempre… Não nunca… De vez em quando.

Confesso que o episódio me deixou algo pensativo… durante uns 14 segundos. Não mais... Não menos… Uns 14 segundos. Depois passou.

Na verdade, o meu pai (e acho que todos os pais são assim) sempre teve uma data de nomes giros para me chamar. Qual deles o mais bizarro…?

Ora… Piruças é, desde logo, um dos bons. A mim, faz-me lembrar nome de gato, cão rafeiro ou algo do género. Mas isso, quando alguém é pirralho pouco importa, porque nem sequer fazemos esse tipo de analogias. Aliás, agora que penso nisso, acho que os pais aproveitam que a malta nessa altura não tem ainda os circuitos todos devidamente ligados e estanhados (se o InSensato Leitor não sabe o que isto é… aborde de um electricista que ele prestar-lhe-á essa informação) para “abusar” na nomenclatura bizarra, passando assim impunemente “à grande e à francesa”*.

Mas há mais. O meu pai também me chama Muano. De origem perfeitamente desconhecida, esta fantástica denominação dá assim um certo “ar” africano, o que me faz pensar que é uma “herança” da passagem dele por Angola e Moçambique. Menos mal. Podia ter-lhe dado para trazer de lá uma carrada de estátuas em pau preto. Isso, sim… seria uma verdadeira desgraça!

Outra bizarria de nome providenciada pelo meu querido progenitor é… “Manim” (ou será “Manin”…? Não faço ideia como se escreve!...). Pistas acerca da origem deste… também nenhuma! Penso mesmo estar na hora de perder um certo tempo e amor ao dinheiro na conta do telemóvel e perguntar-lhe (de listinha na mão, claro) onde raio vai ele buscar o(s) nomezinho(s) para apelidar a malta.

No entanto, nem só o meu pai tem o belo do epíteto para me chamar. A mamã também. Quinito. Este é mais fácil de descodificar mesmo sem recorrer ao Dan Brown. Deve “vir” de Pequenito. Muito embora a minha mãe ainda hoje me chame isso, apesar do meu 1,78m e de ser uns bom 30cm mais alto que ela. Enfim…! Coisas…!

A lista podia continuar a desenrolar-se um pouco pela família (tios, por exemplo, é coisa que não me falta…), mas limito-me a aqui trazer o nome que (carinhosamente, acredito) me foi atribuído por uma tia materna e que lhe oiço, basicamente, desde sempre. Pirata. Gosto…!

E ao longo dos anos, fui sendo chamado de muitas outras formas. Zéquinha, Cocabxinhas, Almocreve, Soure, Comandante, Tóni, … sei lá!... Tantos nomes!...

Comum a todos eles há uma única característica. Nunca eu perguntei a quem mos atribuiu a origem ou a razão pela qual eu seria, então, fulano “X”. Agora pergunto-me… será que vou ficar nesta ignorância?

Não grande ignorância… Não pequena ignorância… Apenas… Ignorância, pura e simples.

= = = = = = = = = = = = = = = = =

* já agora… se o InSensato Leitor souber de onde vem esta expressão [“à grande e à francesa”], que me diga, pois a minha ignorância acerca dela é algo que me aflige sobremaneira.

6 inSensinho(s) assim...:

ah e tal disse...

deve vir de há imenso tempo atrás, pq naquela altura era trés chic ou "chic a valer" como dizia o Eça de Queirós nos "Maias"..e porque a capital Francesa sempre foi cosmopolita e porque para o português sempre foi"O que é nacional não é lá mto bom", a expressão ficou até hoje...
deduzo..
bjs

Sol disse...

Talvez o nosso Prof. José Hermano Saraira seja a pessoa indicada para te dizer a origem dessa expressão, mas à falta dele, eu acho que tem a haver com a corte do rei sol que tudo era grande e à francesa.
Em relação aos nomes que os nossos pais nos rebaptizam em pequenos e manteem em grandes é uma coisa curiosa e que deixa uma pessoa a pensar, mas quando os ouvimos novamento é um transportar para a nossa saudavel infancia que muitas vezes nos traz recordações de felicidade plena. Qdo somos crianças e somos chamados pelo nome de baptismo já sabemos o que isso significava, estavamos em sarilhos.

Uma boa Páscoa, não comas muitos doces dá-os ao teu gato, e vê se actualizas o blog das fotos, anda um pouco desactualizado.
Sol

Ana disse...

Beijinhos quinito!!!

comSentido disse...

olá insensato K@

tens um desfio em
www.comsentido.canal-alfa.net

abraços e beijinhos

calózita disse...

eh, eh! a mim a minha mãe chamava-me, não piruças, não piolha, não feijoca, mas... caló! daí o meu nick!

Anónimo disse...

Piruças a 1 de Setembro matam-me o meu Piruças e nem dignidade de parar tiveram Piruças o nome do meu cao do meu melhor amigo um nome k nunca vou esquecer...e que estará pra sempre no meu coraçao.